Cinema Brasileiro da nova geração em Berlim

A adaptação do romance ‘Bagdá, o Skatista’, de Toni Brandão transformou-se no longa metragem brasileiro “Meu nome é Bagdá” dirigido por Caru Alves de Souza levando o Grande Prêmio do Júri Internacional da Mostra Generation 14Plus do Festival de Berlim 2020,dedicado a filmes que retratam a realidade da juventude pelo mundo.

A trama transforma o personagem inicialmente masculino no romance de Toni Brandão em um personagem feminino, uma jovem vivida pela skatista  Grace Orsanato que na trama se veste e age como um menino, sendo a única a frequentar as pistas de skate do bairro de periferia de São Paulo.

A Diretora admite que o filme seria outro há cinco anos, quando iniciou o processo. No livro, Bagdá é um garoto de periferia que tem uma prima – Tatiana. Durante pesquisa sobre skate, Caru descobre as garotas skatistas da Praça Roosevelt em São Paulo. A partir daí Tatiana virou protagonista, com o codinome de Bagdá representando mulheres causando nas ruas, empoderando-se.

O interessante é o conflito contido na obra. Durante a pesquisa , a diretora Caru se deparou com o preconceito que as garotas têm de superar para usufruir daquele espaço. O filme a partir de então toma outro rumo. 

O filme marca a presença dos jovens cineastas brasileiros em Berlim.

No atual momento em que passa o Cinema Brasileiro, esperamos que o público brasileiro tenha acesso ao filme.

Que venham outros e mais Cinema Brasileiro nas Telas do Brasil e do Mundo!!!

Quer saber mais sobre ROTEIROS ADAPTADOS ?
Vem pro curso de Roteiro da AICTV

MARÇO

🎥 Roteiro essencial
09/03 a 30/03/20
2a e 4a – 09:00 às 12:00


 Curso ROTEIRO ONLINE 
Clique AQUI e saiba mais

FALE AQUI COM A GENTE PELO TELEGRAM

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale Agora Mesmo Sobre os Cursos!